domingo, 22 de janeiro de 2012

Dicionário do Pedrinho

Mama
Papa
Ma (mamã quando me chama e eu não lhe respondo logo)
Bebé
Ba (a avó Fátinha jura que é ele a dizer avó)
Ho, ho, ho (a gargalhada do pai Natal)

E pronto, assim de repente, não me lembro de mais nenhuma.
E só não desespero e vou a correr procurar um médico porque toda a gente diz que eu sou maluca, que ele lá tem os seus timings e que quando se decidir a falar a coisa há-de sair perfeitinha, as palavras todas que ele andou a aprender e a guardar durante todo este tempo.
Na escola, a Tina, a educadora, fez a primeira avaliação ao rapaz e a folha veio cheia da cruzinhas na coluna do "totalmente alcançado". Faltam algumas, naturalmente (ou, melhor, faltam todas) nos itens que têm, de alguma forma, a ver com a fala. Muito angustiada lá fui falar com ela que, do alto dos seus 30 anos de experiência como educadora de infância, me garantiu que não há nada de errado com senhor Pedro. E o que é certo é que ele comunica cada vez melhor connosco, percebe lindamente tudo o que lhe dizemos e mostra o que quer, lá à maneira dele. Está a crescer, o meu filho.

3 comentários:

Pati Bolfe disse...

Pois Mena, a minha menina começou a falar, de fato, aos 2 anos! Não por falta de estímulo ou de estar na escola, mas por ser este o tempo dela. Até aí já havia interrogado pediatra, pedagoga, amigas, atrás da razão pela qual Helena não se dava ao luxo de verbalizar nada, e ficava muito feliz por ela ser uma menina de muitos beijos e abraços, pois até um certo grau de autismo já pensava que poderia ter.
Exageros de mãe...rs... Quando Pedrinho abrir o verbo terás até uma certa saudade do silêncio =)

carlamariamateus40 disse...

Um dia, num futuro muito proximo vais estar a dizer" por favor Pedro,cala-te por um segundo":):)
Bjinhos

mena disse...

Deus vos oiça às duas :)