segunda-feira, 6 de maio de 2013

Calvin foi ao dentista

O consultório do dr. Chico Alegre ficava numa garagem, ao fundo do quintal da grande casa onde ele vivia, na esquina da Praça da República com a Rua Nova. Às vezes era preciso esperar um bocadinho que ele acordasse da folga e fosse abrir a porta, mas eu não me importava nada e lá me sentava no degrau, com o cão pela trela, à espera e já a cozinhar um montão de perguntas para lhe fazer. O dr. Chico Alegre era veterinário, tinha uma paciência de santo comigo e era sempre eu que lhe levava o nosso cão (o do momento, entre os vários que foram passando pela família) quando era preciso vaciná-lo ou quando lhe aparecia alguma mazela. Não era preciso pagar, porque o meu pai depois, noutro dia qualquer, passava por lá e acertavam as contas, mas, tirando os medicamentos, ele nunca me levava nada. A minha mãe dizia-me sempre que perguntasse quanto era, mas eu invariavelmente esquecia-me, demasiado ocupada em saber para que serviam as seringas e agulhas e tesouras e todas as traquitanas que o dr. Chico guardava na garagem.

Esta semana lembrei-me muito do dr. veterinário da minha infância quando tive de levar o Calvin ao hospital. Tinha o focinho inchado, um dente partido, uma infecção, enfim, teve de ir ao dentista, o pobre. Um simpático senhor atendeu-nos e, em cinco minutos, disse o que achava que era o diagnóstico e que iria passar o caso à colega especialista. E nisto foram 35 euros.
Deixámos lá o gatinho, que foi sedado (mais 50) e submetido a uma extracção dentária (outros 30) e ainda teve direito a uma destartarização (25 euros). De análises e RX foram mais 55 euros e por um pack dentário que lhe aplicaram (pasta de dentes com flúor, segundo averiguei entretanto) foram mais 40 (??) euros.

Vou abster-me de aqui referir a factura final, mas era mais ou menos o mesmo que tínhamos orçamentado este mês para esterilizar a Gatinha, que está a ter os primeiros cios e corre louca pela casa a toda a hora. Assim sendo, neste momento temos uma gata tresloucada e um gato à beira de um ataque de nervos, porque já não a pode aturar e porque, como tem um belo colar, não pode coçar as orelhas nem ir dar os seus habituais passeios. Pelo menos o focinho já voltou ao tamanho normal.

5 comentários:

Alexandra A. disse...

Assisti hoje - ao vivo - ao que aqui descreves. Tal e qual...!

Beijinhos a todos, humanos e gatos :)

graça anibal disse...

Olha que dois!

catarina disse...

desculpa, a situação é desesperante para todos, mas não consegui deixar de rir com a descrição... a operação da cá de casa também dava para pagarmos a renda... e se calhar mais uma conta qualquer...

Oficinas RANHA disse...

Como eu te compreendo.
Se bem te lembras o Pilas no mês de Fevereiro e Março esteve doente. Nesse período foi internado várias vezes, submetido a tratamentos e exames, algaliações, soros e cirurgia à bexiga. Ainda andamos em fase de fazer análises de avaliação do efeito do tratamento.
A conta foi enorme mas em termos comparativos com outros locais estou convencida que vale a pena procurar o Hospital da faculdade de Medicina Veterinária.
As melhoras para o Calvin, que se ponha bom depressa.
Festinhas da Ana Cristina

mena disse...

obrigada pela sugestão, Ana Cristina. O problema é que nós habituámonos a este veterinário e de facto os gatos são lá muito bem tratados. o problema é mesmo a factura final.
Festinha tb para o Pilas :)
nós amanhã lá levamos novamente o Calvin, para ser "reavaliado"...