quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Amores e desamores

Madalena, gostas do papá?
Sim.
Muito ou pouco?
Muito, muito... grande
E da mamã?
Sim, muito, muito linda.
E do Pedro?
Não.
Então porquê, filha?
Quero a mamã aqui!

Isto de ter um mano em casa quando ainda só se tem dois anos de idade não é coisa fácil. Pelo contrário, é obra. Porque é preciso partilhar a mãe, partilhar o pai e, sobretudo, porque se perde o estatuto de estrela da estação. Lá na cabecinha dela, as emoções devem misturar-se todas e, de vez em quando, foge-lhe a boca para a verdade. Com o mano, tem uma relação engraçada: Na maior parte do tempo ignora-o olimpicamente. De vez em quando dá-lhe uma festinha ou um beijinho de manhã antes de ir para a escola, mas em regra faz de conta que ele não está por perto. E é até muito toletante com a história dos brinquedos, mas já a ouvi dizer-lhe "Pedro, não mexe nas coisas da Manena", coisa que, aliás, era absolutamente impossível, porque estavam os dois no quarto dos brinquedos, mas ele enfiado na espreguiçadeira, de onde não conseguia tocar em nada. Hoje, quando lhe contei que o mano tinha ido à vacina e tinha chorado um bocado, disse-me, muito séria e solidária, "coitadinho do Pedro". Depois foi brincar e não lhe ligou mais o resto da noite. Tem dois anos. E está cada vez mais linda e maravilhosa

1 comentário:

carla.mateus.silva disse...

É, isto dos irmãos é mto complicado de gerir...Os meus quando estão separados é um martirio,depois em segundos andam á bulha:)
Mas ficam sempre do mesmo lado quando ralho com eles:):)
Carla