terça-feira, 31 de março de 2009

M de... mãe

...e de Médio. Eu que sempre fui rapariga de S e às vezes mesmo de XS, tive de me rebaixar e chamar a menina da loja, por favor, arranja-me um M, assim, muito baixinho, ainda na esperança que ela não ouvisse e eu saía dali e pronto, como se nunca tivesse acontecido, continuava a usar o S. Mas não, ela ouviu, trouxe o M e era mesmo aquele, que o outro insistia em mostrar ao mundo as gordurinhas a mais ali na zona um bocadito abaixo da cintura, assim a desandar para o rabo, e mais não digo que ter de aceitar que já não sou uma rapariga de S já é humilhação que chegue. Pelo menos o vestido é giro. E assenta que nem uma luva. Ai!!!

quarta-feira, 25 de março de 2009

Dez meses

São 7,980 kg e 72,5 cm (eu digo que são mais, mas a médica insiste que não). Percentis 20 e 75, respectivamente. Ou seja, a nossa princesa continua altuças e magricelas, linda e maravilhosa como sempre. Como de costume, também, chorou durante toda a consulta, os olhos sempre postos na mamã, a perguntar porque me deixas aqui a ser apalpada e auscultada por esta chata, que insiste em me manter assim, sem roupa e tão desamparada. Resisti estoicamente, mas não foi fácil. Sobretudo quando a bruxa horrivel (como lhe chama o papá) anunciou que estava na hora de pôr um ponto final à maminha e de transferir a princesa para o quarto dela - nessa altura o choro atingiu volumes nunca vistos (ou ouvidos, mais exactamente).
Saímos da consulta dos dez meses com autorização para, daqui a uma ou duas semanas, começar a fazer sopa com pescada. E gema de ovo, pouco a pouco. Iogurtes, citrinos e ovo inteiro só depois do primeiro aniversário. E será também nessa altura, lá para Maio, que regressaremos a mais um encontro com a bruxa horrivel. Até lá, eu e a bebé já decidimos, mantem-se a maminha. E não se fala mais nisso.

domingo, 22 de março de 2009

Sono

Já dorme. Deixámo-la no quarto há uns minutos, um beijinho, um sorriso para os papás, a musica dela a tocar e a chuchinha a fazer companhia. Fechámos a porta e ouvimo-la ainda um bocadinho a falar sozinha,antes de adormecer. Quando está bem e sem fome, é assim. Às vezes chora, porque está cheia de sono e insiste em lutar para se manter acordada, mas geralmente o protesto dura pouco. Lá para a meia noite, quando nos formos deitar, damos-lhe um biberão de leite que ela bebe quase sem abrir os olhos e, se tudo correr bem, só acorda às sete, para a maminha matinal.
De vez em quando acorda durante a noite a chorar. Acho que são pesadelos e ponho-me a imaginar o que irá naquela cabecinha que a assusta ao ponto de choramingar assim. Tiro-a da cama e embalo-a um bocadinho antes de voltar a adormecer. Ou então trago-a para a nossa cama, que às vezes o abracinho não é suficiente para a acalmar, e dormimos os três, muito juntinhos, a nossa pequena família tão linda.
Um dia destes temos de pensar em pô-la a dormir no quarto dela. É importante, dizem os livros. Ajuda os bebés a ficarem mais independente e evita medos de ficarem sozinhos quando crescerem. Eu sei, mas ainda não me apetece. Quando ela fizer um ano. Quando chegar o Verão trato disso. É demasiado bom acordar e tê-la ali ao nosso lado.

quinta-feira, 19 de março de 2009

Dia do pai

Papás de folga e um dia inteirinho dedicado à princesa. Com passeio ao pé do rio, almoço no restaurante do Museu do Oriente, sesta em família e visita aos avós. Um dia muito familiar e o primeiro dia do pai do papá com a sua bebé no colo, já que no ano passado ela estava ainda na barriga. Ficam maravilhosos, os dois.

Açorda - receita da avó Fátima

Num tachinho põe um pouquinho de água, um fiozinho de azeite um dente de alho,quando ferver retira o alho põe um pãozinho partido aos bocadinhos, com uma colher de pau mexe muito bem, bate uma gema de ovo, e envolve na açordinha, vai ao lume só para ligar.
Está pronta.
Bom apetite

Experimentei mas dei-lhe só três ou quatro colheres, porque estava a comer gema de ovo pela primeira vez e podia fazer alergia. Não fez e gostou da experiência, embora eu me pareça que pus pouca água e ficou ligeitamente para o duro...

domingo, 15 de março de 2009

Quem duvida...

... que a rapariga já diz "mamã", faça o favor de verificar aqui.

Obrigada, Ricardo!

A nossa pequena nadadora


Adorou a piscina. Nem sequer houve beicinho ou ameaça de choro quando molhou o pézinho. Nada disso. Queria era ir para o colo da mamã e se isso significava enfiar-se na piscina, então tudo bem. E lá foi. Sempre a rir - menos quando o prof lhe tentou pegar ao colo, que, afinal, quem era aquele tipo armado em metediço a chatear quando ela estava ali tão bem, com a mamã e o papá?! Acho que nunca tinha visto a rir tanto tempo, tão satisfeita a tentar apanhar as bolas coloridas e a dar animadamente à pernoca e aos bracinhos. E, depois, estava linda, com o belo do fato de banho comprado por uma fortuna na véspera à hora do almoço, única escapatória possível em mais uma semana impossível. Só me esqueci que a rapariga está com uma cabeleira enorme e que não se entra na piscina sem touca. Paciência. Foi com a da mamã e pronto, que faltar à primeira aula de natação estava fora de questão.
Também eu me ri sem parar, tão bom que foi tê-la ali, pequenininha, coladinha a mim e segura que nos braços dos pais estava bem, ainda que estivesse mergulhada numa banheira gigante e rodeada de gente desconhecida. Esteve fantástica e cinco minutos depois de sair estava neste estado:

No próximo sábado lá estaremos novamente.

quinta-feira, 12 de março de 2009

Discurso

"Ma ma ma..."

Foi mesmo assim, com uma sílaba a mais, é verdade, mas quem não se engana de vez em quando? E tem uma voz tão linda, a minha pequena maravilha...

quarta-feira, 11 de março de 2009

Cá está ele...

... o terceiro dentinho da pequena maravilha. É dos de cima e parece que desta vez está mesmo a chateá-la. Ela que dorme (quase) sempre tão bem,ontem à noite acordou às cinco da manhã a chorar, como quem tem um pesadelo. Voltou a adormecer com umas festinhas no nariz, mas eu é que já não consegui seguir-lhe o exemplo. Resultado, às seis da manhã estava eu de luz acesa, a acabar de ler o "Slam" do Nick Hornby. E quando consegui dormir, já perto das oito, começou a música no restaurante lá em baixo e ficou tudo estragado. Hoje passei o dia a querer bater em alguém e a coisa esteve mesmo muito perto de acontecer...

domingo, 8 de março de 2009

Dia da Mulher

"As mulheres são diferentes em ciência como são diferentes na vida, nada que influencie o resultado final para melhor ou pior. Se há alguma área onde se destacam será obra do acaso. Mas temos um problema nas carreiras. No início há muitas mulheres e poucos homens e no final as proporções invertem-se. Há uma disparidade enorme. É inaceitável. Têm de conseguir conciliar a vida familiar com as carreiras e, neste caso, acho que são diferentes dos homens. Pesa mais nelas. Primeiro pelo facto biológico de serem elas a ter um filho. Mas há também um facto social. Vejo o enorme stress em que ficam. Sentem que estão a ser más mães. Vejo o pânico quando me vêm dar a notícia de uma gravidez. Os homens são capazes de ser mais desprendidos. Perco pessoas no grupo por causa disso. Perco mulheres. Há soluções imediatas, remendos, que podem ter impacto, como criar uma creche nos institutos. Não tenho dúvidas de que a vida delas seria mais fácil e com menos stress. É claro que o ideal é mudar isto na base cultural, mas essas mudanças demoram gerações. Vivemos uma realidade pragmática. E, agora, elas desaparecem-nos das mãos. As mulheres na ciência que chegam ao topo e que conseguem conciliar a investigação de alto nível com a vida familiar são mulheres milagre. Não tem de ser assim. Elas não deviam precisar fazer milagres."

Miguel Soares
Investigador, Instituto Gulbenkian de Ciência, 41 anos
in: Público, edição de 8 de Março de 2009

sexta-feira, 6 de março de 2009

Chora...

... quando a Elena* se vai embora. Abre o beicinho e faz aquele ar infeliz de quando não lhe fazemos a vontade. E eu fico dividida. Se gosta tanto dela,é porque a Elena a trata bem, mas era preciso este beicinho, era????

*A Elena é a nossa siberiana maravilha, que passa os dias inteiros com a bebé.

quinta-feira, 5 de março de 2009

Nova brincadeira favorita

Brincar com as duas chuchinhas.Cospe uma e põe a outra naboca e depois vai trocando, muito compenetrada, como quem executa uma tarefa complicadíssima. Pomo-la nacaminha com as chuchas,ligamos a musiquinha e deixamo-la lá sozinha. Com sorte, daí a uns minutos está a dormir. Commenos sorte,como hoje, a versão colibri entra emacção e não há quem a segure. Está na hora do leitinho da noite...

Esta tecla deespaços nunca mais vai ser o que era.

Primeiro post da Madalena...

... poucos segundos antes de arrancar a tecla de espaços. E sem um único erro...

eewwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwzwsawwwwwwwwwwwwwwwdsssssssssssssssssssssds\xzxzZxzCxxxxxxxxxxxxxxxxcsaaaaaaaaaaaaaaa cxxx\xxxxxxxxxx32q3e wvbbbbbbbbbbbbbbbbbzv43bnb6v5sd d ddddfffffffffffffv| XCqxfcvdcvxvcccxsvwbbvVvvvvvvvvvvzkKK<.3f g gyr\ y5555ty\fdddddddddddddddqDs

domingo, 1 de março de 2009

Já estamos equipadas



e o Verão, quando é que chega???

havaianas para mamã e bebé acabadinhas de chegar do Brasil.