terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Baixa

Até parece que foi de propósito: ontem à tarde tive tantas contracções que tive de me enfiar no sofá e não me mexer a ver se acalmava, porque às tantas já vinham de seis em seis minutos. Não foi suficiente, porque voltaram durante a noite, nessa altura já com umas dores à mistura, e cheguei a pensar se não deveria telefonar para a MAC a ver se me mandavam lá ir. Hoje estive melhor, provavelmente porque fiquei em casa e está cá a minha mãe, que não me deixou mexer uma palha.
Até parece que foi de propósito, porque hoje entrei de baixa e é quase certo que não voltarei ao trabalho até o Pedro nascer. Mas não foi uma decisão fácil, apesar de a Alice achar que era o melhor. Não foi fácil porque tinha imensas coisas penduradas no trabalho, porque vem aí o Orçamento do Estado e eu não vou estar lá, porque entretanto não vou escrever nada sobre o que há-de ou não vir no Orçamento do Estado e me vou roer a ver as manchetes, enfim, não foi fácil porque, por mais que diga que não, sou uma palerma viciada em trabalho e isto de ficar enfiada em casa sem me mexer não é propriamente muito aliciante.
O aumento das contracções sossegou-me a consciência pesada por ir ficar tanto tempo afastada da redacção, mas não afastou todas as dúvidas. Sei que daqui a uns dias acaba por me passar, porque também aconteceu assim na gravidez anterior, mas até lá ainda tenho de me convencer que foi mesmo a melhor decisão. Porque preciso de descansar, porque isso é o melhor para mim e para o bebé, mas também porque tenho de curtir esta gravidez (tens toda a razão, Rita), uma coisa que, perdida na espuma dos dias, não tenho conseguido fazer.
Pedro, querido, sou toda tua. Pelo menos até às quatro, que é quando a Madalena chega da escola. A partir daí, não há planos para descansar que resistam ao pequeno furacão.

3 comentários:

carla.mateus.silva disse...

é isso mesmo linda, tens de pensar em ti e no pedro, o trabalho é só mesmo trabalho...e tens razão, a segunda gravidez passa a correr e quando damos por isso já os temos cá fora, e depois bate a saudade dos pontapés na barriga:), e pq ficamos sempre preocupadas de n prestar atenção ao 1º filho, esquecemos um pouco o que ainda n nasceu.
Bj grande

Mami do Salvador disse...

É isso mesmo, tenta descontrair e curtir essa gravidez, não imagino uma segunda gravidez para breve mas uma coisa eu sei vou aproveitar muito melhor do que a primeira, trabalhei quase até ao dia de ir a maternidade, fazia 60 e tal km por dia e os agradecimentos são os mesmos, o importante é saber que o teu trabalho fica bem entregue alguém e olha dedica-te muito aos teus filhotes!
Boa sorte e descansa!
Bjocas
Mayra

Oficinas RANHA disse...

Ai, Mena, queria dar-te toda a certeza que tenho de que fizeste tão tão bem... e de quanto hoje me arrependo de não ter feito o mesmo, de como guardarei sempre essa mágoa profunda em mim... porque tudo no segundo passa ainda mais rápido e gostava tanto de não sentir que foi praticamente ontem que o tinha na barriga e que não aproveitei...
Rita