quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Do contra

Sabem aquelas teorias de que os anti-estamínicos dão sono? Eu estava mesmo muito esperançada, mas com senhor Pedro, nem isso funcionou. A alergia passou, a conjuntivite e a constipação também passaram, mas o que não lhe passou foi aquela energia toda que o faz achar que dormir é uma verdadeira perda de tempo. Continua a acordar-e eu também- várias vezes durante a noite, das quais pelo menos duas são para beber leite.
O que é que se faz? Espera-se que passe, que não estou a ver mais nenhuma alternativa.
Aquelas teorias de deixar a criança chorar até desfalecer e não lhe dar comida não são para mim. Sei muito bem que ele não tem fome, que está é mal habituado, que já tem mais do que idade para que o estômago aguente pelo menos seis ou sete horas sem reforços, mas a verdade é que não sou capaz de o deixar aos berros. Até porque se o deixo acordar a mana estou ainda mais tramada. Assim sendo, salto que nem uma mola mal o ouço a acordar, saco do biberão que fica sempre previamente preparado e enfio-lho pela boca. Depois adormecemos os dois, ele e eu, ele no meu colo, eu encostada à parede. E são assim as minhas noites. Encho-o de beijinhos, mergulho o meu nariz no pescoço dele e aproveito para o abraçar até não mais poder, enquanto ele não cresce e decide que não está para aturar os mimos da mãe.

1 comentário:

Cougar disse...

Tem ser... um dia vais dormir... ele aconchega-te... :)!Bj