sexta-feira, 9 de abril de 2010

Pequeno almoço em família

O segredo está em ignorar olimpicamente a banda sonora de fundo e cá em casa estamos a ficar peritos nesta estratégia. Ora vejamos: o primeiro a começar é ele, apesar de estar muito bem instalado no colo da mãe, que ao mesmo tempo vai fazendo as torradas e aquecendo o leite. Ela, que estava sentada no chão às voltas com um dos seus puzzles, decide que também quer colo. O da mãe, claro. Como não é possível, abre também a goela. Nessa altura, é quase certo que os vizinhos do quarto andar já se estão a perguntar o que raio está a suceder no rés-do-chão, mas os progenitores iniciam impassíveis o ataque às torradinhas com manteiga e doce do Alentejo. Ele continua aos berros, mesmo depois de ser mudado várias vezes de posição, porque não está a conseguir fazer cocó e teve um ataque de refluxos. Ela decide virar-se para o pai e começa a subir-lhe pelas pernas acima até que consegue que ele, no meio de um gole de sumo de pessego, lhe pegue ao colo. Mesmo assim continua a reclamar, enquento os pais decidem, com grande calma, programar o resto do dia, como tentam fazer sempre ao pequeno almoço. Acabam-se as torradas, o leite, o sumo, Madalena é informada que está na hora de ir para a escola e decide que não lhe apetece. Bebé casa, mamã, informa muito determinada. Nova crise de choro para a conseguir sentar no carrinho e sair porta fora com o pai, já atrasadissimo para a reunião da manhã. Em casa ficam o Pedro com a mãe e uma fralda malcheirosa, porque o rapaz lá conseguiu tratar do assunto. Só depois de limpinho e fresquinho e de roupa mudada se instala finalmente o silêncio na casa. são 11 da manhã e o Calvin e o Zorbas, sentados no sofá da janela a apanhar sol, enfiam a cabeça entre as patas e suspiram de alívio. A mãe pega na revista Ler que comprou há quase um mês e ao fim da primeira página adormece também.

3 comentários:

graça anibal disse...

Melhor não podia ser...
Beijos
Avó

carla.mateus.silva disse...

são assim as pequenas maravilhas que nos deliciam...:)
bj

gralha disse...

É tão engraçado quando eles choram em simultâneo, não é? Cá em casa até contamos isso em pontos, como se fosse um jogo. Farto-me de rir.