terça-feira, 20 de março de 2012

Balanço da noite

Pedrinho destruiu várias vezes a casinha que a Mada fez para a gatinha com as almofadas do sofá.
Mada bateu no pedrinho, coisa que muito raramente acontece.
Pedrinho destruiu tudo novamente e fugiu com a gatinha.
Mada chorou furiosamente
Mamã arrastou os dois para a casa de banho para lavarem as mãos.
Em vez de ir para a mesa, Mada regressou para o sofá para brincar com o iphone.
Pedrinho fez uma birra descomunal enquanto a Mamã tentava falar com o director que lhe ligou para tirar uma dúvida.
Mamã, à beira de uma fúria, controlou-se e conseguiu arrastar os dois para a mesa.
Pedrinho, ainda furioso, atirou com uma garrafa à cabeça da mana e foi de castigo para o sofá.
A mana comeu a sopa com os berros como música de fundo.
Pedrinho recusou sentar-se na sua cadeirinha e jantou no colo da mãe.
Mada voltou para o sofá e para o iphone.
Pedrinho, desobediente, decidiu abrir e fechar a máquina de lavar loiça, destruindo tudo o que estava lá dentro.
Mamã deu-lhe uma palmada no rabo e a seguir ficou a roer-se de desgosto e arrependimento.
Pedro chorou, ofendidíssimo, e quis colo novamente.
Várias peripécias depois, lá lavaram os dentes e rumaram ao quarto, onde Mada insistiu em pôr as suas asas de fada e Pedrinho também quis, apesar de só haver um par.
Deixei cada um na sua cama e anunciei que ia dormir.
Não me ligaram nenhuma e neste momento estão os dois, muito amiguinhos, a cantar a música dos "sete cabritinhos" o mais alto que são capazes.

Entretanto o papá, que foi ao futebol, chegou a casa: o Benfica ganhou ao Porto por 3-2.



5 comentários:

Pati Bolfe disse...

Motim! No fim ficam de amores e a gente a se estressar...

graça anibal disse...

Vá lá, vá lá, sempre chegou um a casa a rir...

Beijos

carlamariamateus40 disse...

Este tipo de cenário é mto habitual aqui na minha casa:):)

Alexandra A. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alexandra A. disse...

Fartei-me de rir... porque reconheço essas cenas. Agora rio-me (dei várias gargalhadas enquanto lia o teu texto), mas quando me aconteciam a mim só me apetecia chorar... Beijinhos e coragem!